Entrepais: projeto que busca amenizar efeitos da separação é retomado e tem inscrições abertas até 30/8

O projeto Entrepais será retomado, agora em formato virtual. A iniciativa busca oferecer suporte emocional a pais que tenham conflitos relacionados à separação conjugal e convivência com os filhos e é uma realização do Centro Judiciário de Solução de Conflitos (Cejusc) de Natal. A pré-inscrição pode ser feita até o dia 30 de agosto, por meio de formulário online.

Esta é a sexta edição do projeto, que deveria ter ocorrido entre os meses de março e maio e foi suspensa pela pandemia da Covid-19. Para participar do projeto não é necessário ter processos tramitando na Justiça, embora o Entrepais possa atender também casos indicados pelas Varas de Família das comarcas de Natal e de Parnamirim.

Grupos

O projeto contará com um momento inaugural, que acontecerá no dia 31 de agosto, às 18h, em plataforma virtual a ser definida, seguido de quatro encontros semanais durante o mês de setembro.
Serão formados quatro grupos reflexivos, para os turnos da manhã, da tarde e da noite. Os encontros serão virtuais. Cada grupo será conduzido por uma psicóloga e um estagiário, sob a coordenação da juíza Virgínia Rego. A equipe é formada pelas psicólogas Emília Araújo, Kátia Bezerra, Rosinelly Queiroz, Josefa de Azevedo e Rita Medeiros Maia.

Manhã: encontros às terças-feiras (8/9; 15/9; 22/9; 29/9), das 9h às 11h
Tarde: encontros às terças-feiras (8/9; 15/9; 22/9; 29/9), das 14h às 16h
Noite: encontros às terças-feiras (8/9; 15/9; 22/9; 29/9), das 18h às 20h
Noite: encontros às quintas-feiras (10/9; 17/9; 24/9; 1/10), das 18h às 20h

Intervenção

Proteger os filhos e favorecer a resolução consensual das questões que envolvem a separação conjugal são objetivos do Entrepais, uma proposta de intervenção nos conflitos familiares fundamentada na Recomendação nº 50/2014 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a qual estimula a adoção de práticas que favoreçam a resolução consensual e prevenção de conflitos, considerando o alto índice de judicialização de demandas familiares.

O projeto iniciou suas atividades de forma piloto no 2º semestre de 2017, trabalhando inicialmente com cerca de 30 processos oriundos das Varas de Família da comarca de Natal, envolvendo questões de guarda, pensão alimentícia e convivência.

Nas edições seguintes, o projeto passou por avaliações contínuas e sofreu algumas alterações, sendo a principal a extensão do atendimento para o público em geral, sem a necessidade dos participantes terem processos judiciais em tramitação. “Acredita-se que a adesão voluntária é condição para uma participação efetiva, assim como a ampliação da demanda atendida favorece uma diversidade na experiência dos usuários com a Justiça e pode contribuir efetivamente para a prevenção de conflitos familiares”, relatam as psicólogas Kátia Bezerra e Emília Araújo.

Entre os temas abordados pelos grupos reflexivos estão o rompimento do vínculo conjugal, alienação parental, parentalidade e conjugalidade, dentre outros.

As facilitadoras ressaltam que é observado na fala dos participantes uma maior apropriação dos problemas vivenciados e a reflexão sobre o papel de cada um dos pais na sua resolução. Os depoimentos também mostram a identificação de posturas inadequadas perante o conflito, com desdobramentos na relação com os filhos.

Do mesmo modo, foi observado que o projeto traz contribuição efetiva no encaminhamento das questões judiciais, aumentando as chances de resolver os processos consensualmente, seja modificando a postura frente ao ex-companheiro (a) ou até mesmo perante os advogados, em casos de litígio.

Inscrições

Os pais ou mães que desejarem participar do projeto devem preencher o formulário eletrônico de pré-inscrição até o dia 30 de agosto. As inscrições são gratuitas. Mais informações pelo telefone 3616-6668 (WhatsApp Business) ou pelo e-mail O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .

Tribunal de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte - Praça Sete de Setembro, nº 34, Cidade Alta, Natal/RN, CEP 59025-300 - (84) 3616-6200